domingo, 17 de fevereiro de 2008

Matemática Rápida (ou A Crueldade do Sistema)




De 8 a 9 executivos são filhos de executivos. Claro que aqui há o velho e famigerado “peixe”, parte essencial da cultura do nosso tão amado país (tb conhecido como QI – quem indique). Mas não só isso. Os filhos de executivos, além do exemplo/modelo/incentivo dos progenitores, estão em determinada classe econômica – os três por cento do topo da pirâmide. Que oferece uma série de oportunidades, relacionadas tanto a uma educação melhor, quanto a mais oportunidades e recursos, além de um network mais efetivo.

Mas, Ei!, sobra aí de 10 a 20% de chances pra os meros mortais conquistarem seu lugar ao sol, crescer e realizar o sonho capitalista – a promessa que mantém o próprio sistema rodando.

Não é bem assim, pq ainda há os filhotes da classe privilegiada cujos pais NÃO SÃO executivos. E que tiveram oportunidades muito semelhantes aos filhos de executivos. E lá se vai uma boa parcela dos 20% restantes...

Então, a mobilidade social, base mesmo da promessa capitalista, é muito menor do que se pode supor a primeira vista. O sistema é cruel e as “castas” se perpetuam.

Só pra não terminar num tom muito negativista, vou enfiar uma frase motivacional aqui, algo do tipo: Seja uma exceção! (a menos que seu pai seja um executivo...)

4 comentários:

manuel disse...

Creio que voçê conhéce o prencipio de Peter?

anah025 disse...

Comentário embalado por cafeína: Dentro da composição social que rege este país, o efervescente capitalismo domina; ainda mais quando se leva em consideração a concentração de renda. O que é interessante observar - e que alguns atribuem etiologia à natureza humana - é que em vez de horror esta situação causa cobiça, assim a sociedade não busca a transformação das regras e sim o indivíduo, a obtenção do posto máximo dentro do sistema. Por fim, todos querem ser a exceção, ninguém quer que mude-se o jogo.

anah025 disse...

Devo acrescentar 1 observação a meu comentário,q vem a reafirmá-lo:O trânsito na ilhazinha na parte superior do mapa deste país está cada vez pior.Essa semana, enquanto eu agradecia a Deus estar num coletivo( e portanto não dirigindo no engarrafamento) as pessoas no mesmo coletivo desejavam cada uma um carro. Quer dizer uma máscara capital perfeita; as pessoas não percebem que elas deveriam desejar um transporte coletivo de qualidade e não um carro pra cada uma que só aumentaria o engarrafamento.

anah025 disse...

Calculando: em 4 coletivos cabiam aquele pessoal do engarrafamento todo sentado (já que havia em média duas pessoas por carro) e não teria engarrafado.